A praia de Itamambuca foi palco do primeiro evento Cosmic no Brasil, que apesar do sábado com muita chuva, teve condições ótimas para o surfe, com ondas em torno de 1 metro e boa formação, no canto direito da praia, que já presenciou a história das competições desde a década de 70.

Diferente das competições atuais, o Cosmic Itamambuca busca resgatar a memória dos antigos festivais, onde as pranchas dominavam as surf-shops, o espírito da diversão era maior do que a gana e stress competitivo de hoje em dia.

Para finalizar a noite do sábado, o palco mudou da praia para a Pizzaria Padang onde a banda Salt Water Soul, juntamente com a participação especial do surfista Teco Padaratz, fez um show memorável para os participantes, organizadores e convidados. Abastecidos com muita Corona gelada todos puderam assistir a exibição dos filmes “Dream Steeple” de Eddie Obrand e “O Surfista da Monoquilha Vermelha” da Flamboiar.

O domingo amanheceu ensolarado para as finais com excelentes condições. Demorou um pouco para os participantes e público entenderem sobre o conceito do evento, mas aos poucos surgiram performances que lembravam os surfistas da década de 70, com suas monoquilhas cortando a linha da onda, onde o estilo e o divertimento reinavam nos festivais.

O ponto forte do domingo foram as baterias de bodysurfing (surfe de peito) onde os surfistas demonstraram, além de muita disposição, camaradagem, dividindo ondas e mostrando ao público como é divertido surfar com apenas um handplane e um par de nadadeiras! Nessas baterias, os próprios surfistas julgaram seus concorrentes e contaram com a presença do legend Fuad Mansur, que colocou muito mais diversão no quadro de juízes.

14695380_1454072754608990_3406641946867751452_n

14650165_1454073907942208_8535342529627165700_n14695380_1454072754608990_3406641946867751452_n

14705885_1454076044608661_2450998756721959545_n

14716294_1454078887941710_471429054555846154_nVictor Lucas, estilo 70 & tal

cosmic_itamambuca-049

Shaper F.Lucas em ação

14717260_1454081281274804_912427242799361630_n

14724575_1454075187942080_7486209756289887190_n

cosmic_itamambuca-317

Outro destaque foi a mistura de perfis nas baterias dos profissionais, como exemplo, colocando o longboarder Alexandre Wolthers com o bi-campeão brasileiro Renato Galvão, o campeão mundial ISA junior Wesley Dantas e o vice-paulista Wesley Leite.

Andrew Serrano, embaixador da marca, apresentou performances com muito estilo nas diferentes pranchas escolhidas durante a chamada das baterias, e atuou como Diretor de Provas, ajudando a mostrar o verdadeiro critério de julgamento, ou seja, a valorização do estilo clássico efetuando linhas que cada prancha proporciona.

A performance que ficará na memória foi do surfista do Rio de Janeiro Marcelo Trekinho, que se adaptou facilmente às pranchas do quiver Cosmic com as ondas de Itamambuca, executando manobras com muita fluidez e estilo, vencendo a categoria dos Profissionais, que teve como finalistas os locais de Ubatuba Hizunomê Bettero, Tales Araújo e Wesley Leite.

Durante todo evento a Vissla fez um trabalho ambiental com o recolhimento de 200 litros de lixo reciclável destinados para uma cooperativa, 50 litros de lixo orgânico para uma empresa de jardinagem e com apenas 50 litros de rejeitos que terão o aterro sanitário como destino. Além disso, foram distribuídas 50 mudas nativas, sacos de lixo, bituqueiras e kits com livros com assuntos ambientais.

Para hidratar e alimentar os surfistas a organização do evento ofereceu água e frutas para todos os participantes e açaí da Brothers Açaí. Além disso, para garantir a aderência nas pranchas Cosmic, a FU-Wax forneceu parafinas exclusivas do evento.

O Cosmic Itamambuca teve a organização técnica da Associação Ubatuba de Surfe e apoio da Prefeitura Municipal de Ubatuba, Cervejas Corona, Brothers Açaí e parafinas Fu-Wax.

Texto produzido por: Vissla Brasil

 

Para nós da equipe F.Lucas & Surfessência, o campeonato foi melhor do que o esperado! O nosso shaper Felipe Lucas foi vice-campeão na categoria shapers e seu irmão Victor Lucas arrebentou as ondas, incorporando o estilo anos 70, vencendo as categorias Sub 24 e Sub 34.

 

cosmic_itamambuca-343

Victor Lucas, campeão das categorias Sub 24 e Sub 34

cosmic_itamambuca-359

 

Felipe Lucas, vice-campeão categoria Shapers

 

Classificação final

Sub 16

1º Alexander Salomão (UBA)

2º Daniel Ferlin (SAN)

3º Danilo V. Boas (UBA)

4º João Paulo Alves (UBA)

 

Sub 24

1º Victor Lucas (SSB)

2º Alef Araújo (UBA)

3º Kelyrson Cypriano (UBA)

4º Felipe Cunha (SP)

 

Sub 34

1º Victor Lucas (SSB)

2º Dulmar Simões (PAR)

3º Kassio Ribeiro (SAN)

4º KIM (SAN)

 

Sub 44

1º Alvinho Correa (UBA)

2º Gilberto SPY (UBA)

3º Igor Mathey (UBA)

4º Rafael Maldonado

 

45 Up

1º Marino Cezar (GUA)

2º Carlos Roberto (UBA)

3º Augusto Cesar (SAN)

4º Alexandre Ponciano (UBA)

 

Creators & Innovators (Shapers)

1º Alexandre Moliterno (UBA)

2º Felipe Lucas (SP)

3º Emerson Cortez (SAN)

4º Augusto Motta (UBA)

 

Bodysurfing

1º Alexandre Wolters (SAN)

2º Felipe Barone (UBA)

3º J.P. (UBA)

4º Andrew Serrano (SAN)

 

Profissional

1º Marcelo Trekinho (RJ)

2º Wesley Leite (UBA)

3º Tales Araújo (UBA)

4º Hizunomê Bettero (UBA)