Três dias de competição com fortes emoções marcaram a primeira etapa do CBSurf no III  Rota do Mar Surf and Music que rolou na Praia do Cupe, no município de Ipojuca, em Pernambuco. O pico é mais conhecido como Borete ou Recanto do Lobo e fica ao ladinho de Porto de Galinhas e Maracaípe.

Entre muita fuleragem e bolo de rolo (gíria e comida tradicional pernambucana), nós, da equipe F.Lucas, estávamos lá e vimos de pertinho tudo que rolou durante todas as baterias.

E é com muito orgulho que relatamos aqui, que a atleta Larissa Santos, que há menos de um mês fechou uma parceria de pranchas com o nosso shaper F.Lucas, conseguiu sua primeira vitória em um campeonato profissional. A cearense da Praia do Titanzinho consagrou a vitória em sua última onda em cima da atleta potiguar Gil Ferreira. “Estou muito feliz pela vitória, pois é minha primeira vez num evento profissional. Agradeço a Deus por ter mandado aquela onda em que virei a bateria nos últimos segundos. Evento muito irado. As meninas também. Todas surfam muito. Só quero agradecer a minha família e as pessoas que estavam torcendo por mim”, declarou Larissa em entrevista para o site da CBS.

 

IMG_2077

Larissa Santos sendo levada até o pódio por Felipe Lucas (Shaper) e Glauciano Rodrigues!

36894342_1711946535521640_2259559677127819264_n

Larissa e seu pai (Flávio Sukita) em momentos emocionantes depois da bateria da vitória.

Veja alguns momentos especiais da vitória de Larissa dando o play no vídeo:

CBSurf Pro Tour 2018 – Larissa Santos campeã da primeira etapa (Praia do Cupe) from F.LUCAS TV on Vimeo.

Destaque especial para o terceiro lugar que ficou com a carioca Anne dos Santos, de apenas 16 anos, que quebrou dentro e fora da água. Além de ter uma linha de surf muito bonita e ter enfrentado atletas de alto nível, Anne também esteve bastante concentrada fora da água, demonstrando sua preocupação com a natureza. Entre uma leitura e uma caminhada, Anne recolhia alguns resíduos deixados na praia por turistas e moradores. Nosso guarda-sol estava ao lado do dela e de sua família e pudemos observar o espírito solidário da atleta, além de vermos também a emoção que seu pai sentiu, quando viu que sua filha estava na final do campeonato depois da virada, nos últimos minutos na bateria da semifinal. Já em quarto lugar, ficou a atleta carioca Taís de Almeida.

O potiguar Jadson André (ex-WCT), confirmou sua vitória após a buzina de término de bateria, quando as últimas notas de seus adversários saíram. Já cercado pela torcida na areia, aguardou a última nota do paulista Geovani Ferreira, vice campeão do evento, que precisava de 7,12 e fez 6,97 e por muito pouco não levou título. Em terceiro lugar ficou Arthur Silva, atleta do Ceará, e em quarto, o capixaba Rafael Teixeira.

Destaque especial para o baiano Bino Lopes que, conectado com o mar de difíceis condições, arrancou alguns high scores durante o evento.

Pela primeira vez na história dos campeonatos de surf brasileiro, a premiação entre homens e mulheres foram iguais. Isso incentiva a participação de mais atletas, já que em vários eventos, a contingência da categoria feminina é baixa, entre outros motivos, por conta da premiação. O campeão levou R$ 10.000,00, já o vice, R$ 7.000,00. Apesar do prêmio valer a pena, o imposto é “bravo” e o campeão de prêmios é a “buRRocracia” que leva quase 27% dos valores recebidos acima de R$ 3.000,00.

As próximas etapas acontecem em São Paulo de 9 a 12 de agosto, em Santa Catarina, de 11 a 14 de outubro e na Bahia de 22 a 25 de novembro.

Resultados – Atletas F.Lucas

Além da vitória da atleta Larissa dos Santos, contamos com a participação dos atletas Lucas Santos (Ubatuba-SP), Renan Argemiro (Juquehy-SP), Glauciano Rodrigues (Praia do Futuro-CE), Madson Costa (Praia da Pipa, RN). O atleta cearense Glauciano Rodrigues ficou pelo segundo round, com o mar em difíceis condições, perdendo a classificação para o atleta Rafael Teixeira na regressiva da bateria. Renan Argemiro também não se classificou para as oitavas, mesmo lutando até o final de sua bateria e merecendo a virada em sua última onda. Já o atleta Lucas Santos, não encontrou as ondas em sua bateria de oitavas final. Assim como Lucas, o atleta potiguar Madson Costa, que estreou sua prancha F.Lucas durante o campeonato, surfou muito durante as baterias, mas não conseguiu alcançar um 4.17, depois de 4 ondas surfadas que valeram 4 pontos cada uma nas oitavas.

IMG_1543

Madson Costa (Praia da Pipa, RN)

IMG_1584

Renan Argemiro (Juquehy-SP)

IMG_1482

Lucas Santos (Ubatuba)

IMG_1490